BCLASS BLOG

Resiliência Humana & Empreendedorismo



Por definição, resiliência humana é a capacidade de se recuperar do estresse e da adversidade que a vida impõe ao ser humano. Por alguma razão inerente ao Universo que nos cerca, a adversidade é uma espécie de mecanismo que tem como função o aperfeiçoamento das coisas, sejam elas pessoas, organizações, etc.

Estudiosos tais como G.Everly Jr. E M. Kaminsky afirmam que a resiliência não é um fenômeno estático reativo, mas sim, algo que depende de dois fatores: (1) Imunidade e (2) Capacidade de se recuperar da adversidade. Em outras palavras, pessoas e organizações têm que ser vacinadas e preparadas para vencer as adversidades.

Encontramos em algumas tradições religiosas os melhores meios para lidar com a adversidade. No entanto, a própria história de evolução da humanidade mostra que o ser humano é naturalmente dotado de altas doses de resiliência, caso contrário, não teria chegado até o atual estágio de desenvolvimento.

Já no contexto das organizações isto não tem sido bem assim. Encontramos poucas organizações ou instituições centenárias e em se tratando de empresas, muito menos. Por que as empresas morrem rápido? A resposta é simples. As pessoas que trabalham nas empresas não passam para a cultura da empresa esta característica que permitiu à humanidade sobreviver às mais severas condições ambientais e sociais – resiliência. Este tema foi muito bem abordado em um artigo publicado na versão brasileira da Havard Business Review (Abr/17).

No contexto do micro, pequeno e médio empreendedor, aqui no Brasil, este tema é de relevante importância porque a taxa de mortalidade de empresas com menos de cinco anos de aberta é elevada. Os fatores são os mais diversos e está atrelado principalmente à hostilidade do ambiente de negócios, moldado por leis e regulamentações fiscais e trabalhistas elaboradas por estruturas governamentais incompetentes com o propósito único de matar lentamente quem produz para que quem não produz viva. Parece coisa de filmes de alienígenas aonde seres humanos são hospedeiros de terríveis criaturas extraterrestres que querem sobreviver ao preço da morte de quem o hospeda, diferente dos sistemas simbióticos aonde há um ambiente baseado em trocas que viabilizam a sobrevivência dos seres que pertencem a estes sistemas.

O ser humano é dotado da capacidade de aprendizagem de qualquer coisa nesta vida. Uns mais e outros menos porque, é claro, há uma certa dependência de alguns aspectos congênitos. Porém, todos podem evoluir até um certo ponto de uma escala de qualquer coisa que se queira desenvolver. Como jogador de volley chequei na escala 6 e tem gente que chega a 1 ou 3 e outros, gênios como Bernard, Tande chegaram a 10. Assim, é vital que todo empreendedor desenvolva a sua capacidade de ser “resiliente” para poder sobreviver. Imunidade, elasticidade e resistência são três qualidades essências.

Como adquirir imunidade, elasticidade e resistência? É como tomar vacina e fazer exercícios constantemente. E que método é este? Os pesquisadores acima mencionados identificaram sete barreiras que inibem o desenvolvimento da resiliência. Destas sete, seis delas podem ser aplicadas para o desenvolvimento da resiliência no contexto do empreendedorismo. Vamos lá.

(1) Saiba que o cérebro humano é negativo por natureza. Pensar negativamente é um ato de auto sabotagem. A técnica para ser positivo é: para cada pensamento negativo procure cinco positivos em torno do mesmo contexto.

(2) O cérebro é preguiçoso e gosta de seguir a intuição aonde muitas vezes é incorreta porque são elaboradas em obscuros lugares do cérebro e da mente. Adote a razão em se tratando de negócios, planeje, pesquise. Tome decisões baseadas em fatos e dados. Deixar a intuição por conta em se tratando de empreender é jogar loteria ou suicídio financeiro.

(3) O cérebro é obcecado por problemas e isto é tóxico porque paralisa a pessoa. A solução para isto é transformar o problema em um desafio a ser superado, verificando se de fato existe e, se existe, se é algo grave, se é urgente ou se é apenas uma tendência. Com isto desenvolva um plano de ação de superação.

(4) O cérebro humano é medroso quando exposto à dúvida. Neste caso, procure a verdade, ter certeza, ao invés de ficar com medo.

(5) O cérebro humano é propenso a associações. Esta é a parte boa. Junte-se aos melhores e seja um deles. Procure trabalhar com pessoas competentes. Nunca traga para dentro da sua empresa ou se associe, a pessoas indolentes e principalmente de caráter duvidoso.

(6) O cérebro precisa de previsibilidade. Para não correr o risco de ficar paralisado ou paralisada diante da situação que a expectativa positiva do seu negócio não deu certo, Planeje, Prepare-se e Aja.

Boa sorte!

por R. Ribeiro (consultor Business Class).

Voltar
TEXTOS RELACIONADOS
x
Solicite aqui uma Proposta Exclusiva para Nossos Serviços.